buenos aires! dia 8

subteHOLAA!

Hoje teoricamente teríamos um dia cheio, então era bom acordar cedo… béééé! Acordamos quase 10h, etc etc e comemos qualquer coisa no hotel mesmo, e logo depois:

ALFAJOR!

O Primeiro alfajor do dia: My Urban

Alfajor My Urban

My Urban

A embalagem parece de camisinha hahaha e o alfajor é bom, e o interessante é que ele não é caro, mas não lembro o preço também.

Anyway… subte linha D, estação Pueyrredon, que era a mais próxima da Recoleta (na teoria), e começamos os passeios marromeno às 11h pelo Cemitério da Recoleta. É um “show de arquitetura em miniatura”, os túmulos devem ter uns 2 metros de altura ou mais, e a maior parte deles é bonito mesmo, mas tem muuuuuuita coisa mal cuidada também.

O túmulo da Evita está lá, escondidinho no meio de um monte de outros, mas dá pra achar porque sempre tem alguém em volta.

Túmulo Evita

SEMPRE tem flores no túmulo dela

Dali seguimos por uma praça que tem na frente, mas que não sei o nome, tem diversas cabines telefônicas daquelas vermelhas de Londres ali (?), alguém sabe o nome? Tem umas árvores IMENSAS, uma árvore inteira dá mais que uma rotatória.

Árvore

imensa árvore na praça esqueci o nome

Nessa mesma praça tem uma entrada de um shopping chamado Buenos Aires Design, que é cheio de coisinhas fofas à la Imaginarium, e onde fica o Hard Rock Cafe também, que nós até chegamos a subir as escadas pra entrar, mas chegando na entrada interna desistimos e fomos embora… mas temos uma foto da fachada 😀

Hard Rock Cafe

pobres só tiram foto da fachada rsss

O passeio continuou no Museu de Belas Artes, que tem muuuuuita coisa conhecida, tipo Manet, Monet, Rodin, Candido López, Renoir, Degas, Cézanne, Charles Chaplin (siiim!) e até um Van Gogh! Mas Picasso não tinha (a @Lo_wski disse que tinha), cadê a graça se não tem um Picasso né? RSSS 😦

Renoir

Renoir

 

Cézanne

Cézanne

Do lado do museu fica a Facultad de Derecho: a fachada parece um templo romano, é maravilhoso.

Facultad de Derecho

pq Direito é algo Romando -AFFFF APAGAR

Logo do lado dela tem a famooosa Floralis Genérica:

Floralis Generica

Floralis Generica

Essa ~escultura~ (ou como se chamaria isso?) é uma flor (AH, É?) que abre abria com o nascer do sol e fecha fechava com o pôr-do-sol. Mas agora ela está velha e estragada, então não funciona mais 😦

“Almoçamos” às 15h no shopping Paseo Alcorta… esse sim não tem muita diferença em relação aos shoppings do resto do mundo… pra variar, comida argentina em grande quantidade e super quente 🙂
Dali fomos pro Malba, que é o museu onde está o Abapuru, da Anita Malfatti. A decoração de fora está cheia de bolinhas vermelhas fofas, porque sei lá quem está expondo algo nesse sentido e eles colocaram umas faixas nas árvores e pontos de ônibus pra combinar.

Bolinhas

árvores com bolinhas ^^

Mas adivinha? Tuesdays: closed.

Mimimi

Vamos tentar amanhã de novo.

O último ponto turístico foi a Biblioteca Nacional, um prédio muito divertido, que só vendo fotos mesmo pra explicar (é que estou exausto)

Floralis Generica

bizarro né?

Depois de tudo isso a gente se arrastou até a estação de subte e voltamos pro hotel

ALFAJOR!

O segundo do dia (e provavelmente o mais barato do mundo, pq tinha promos de 4 deles por 5 pesos): Guayamallen.

Alfajor Guayamallen

Guayamallen

Achei bizarro, o recheio é bom, mas a cobertura é chocobanha também, não gostei muito. Mas enfim… já comemos piores.

E pois é… a essa altura do turismo, alguém aí deve estar se perguntando: se estamos em buenos aires, ONDE RAIOS está o bife de chorizo? Estava no Don Julio, restaurante super turístico no Palermo Soho, que é conhecido por as pessoas assinarem seus vinhos, e eles guardam nas prateleiras, à vista de todos. E guess what? Pedi um vinho (claro que dos “mais baratos” pq eu não entendo muito e não sou tão ryca) e eu e a @Lo_wski assinamos e vimos ele colocar nossa garrafa à mostra ❤

Vinho Don Julio

pq somos Will & Grace

Claro que rolou um merchan, exatamente como no Burger Joint 🙂

E claro que por ser um lugar top top top, lá se foram 459 pesos e mais 60 de táxi pra carregar os estômagos cheios e as cabeças bêbadas pro hotel né hehehehe

Mas se até então não tínhamos feito nada de caro, ao menos agora podemos falar que o Don Julio VALE os 459 pesos. A comida é ótima, o atendimento é maravilhoso e por aí vai, a gente só não sabia que a conta seria tão alta porque nenhum outro blog se prestou a dizer que esse era o preço, então:

Dica do dia:

Don Julio é caro. Mas vale a pena 🙂

E ah, sim, depois de tanta comida boa aqui na Argentina, eu, sinceramente, do fundo do coração, sem ofensas, etc, etc, achei o bife de chorizo a comida mais sem graça daqui (notem que todas as comidas até agora foram maravilhosas). Por favor, não me julguem.

Passeios quase no fim, gentes, só mais um pouquinho 😛

Besitos e até amanhã!

AHH SIM!

Curiosidade:

Essa não é relacionada ao post, mas uma coisa que reparei aqui é que argentinos tem cara de argentinos, tipo japonês, que é tudo igual, sabe? Pois é… argentino também… e o pior… argentino é feio, credo! Acho que eu não pegaria, viu… eles em geral tem os dentes podres ou algo do gênero, e pra se diferenciar uns dos outros, eles fazem uns cabelos bizarros que vou te contar hein… Mas ao menos eles são magros (não sei como, pela quantidade que se come aqui, não dá pra entender), a maioria ao menos é…

Enfim, agora sim, besitos e até amanhã!

buenos aires! dia 7

ATENÇÃO! Esse post tem duas partes 😀 (só pq vcs adoram duas partes – ou não)

PARTE 1

Hoje foi um dos dias mais “turísticos” de todos: Calle Florida.

Calle Florida

a ruazinha de pedestres no canto direito da foto

Prédio lindo na Florida

como sempre, cheio de prédios lindos

Prédio HSBC

esse HSBC se fosse branco era o Gringotes hahaha

A Florida é tipo a XV de Curitiba, só que menos bonita (ou não), e menos lotada de gente (ou sim, porque hoje é segunda)

Curiosidade:

Na segunda-feira em BsAs as coisas não abrem normalmente… quase tudo está fechado ou abre só à tarde. Não deu pra entender ainda os horários argentinos.

Na Florida, a cada 15 metros tem alguém gritando CÂMBIO! CÂMBIO! DÓLARES E REALES! PAGO MÁS! mas nós não tivemos coragem nem de perguntar quanto era “pago más” pra eles, dado que ~conta-se~ que uma vez um zézão quis trocar 9 mil euros ali e foi literalmente roubado… então vamos salvar nossas notinhas de 50 reales.

A Florida fica a duas quadras do hotel, então fomos à pé até ela, descemos até o começo dela (que é na Diagonal Norte), depois voltamos tirando fotos de prédios bonitinhos até o shopping Galerias Pacífico:

Fachada Galerias Pacífico

a fachada já é linda…

Teto Galerías Pacífico

o teto, again, maravilhoso

Chafariz Galerias Pacífico

e ainda por cima tem um café em volta de um chafariz… é demais né…

E eu achava que o Abasto era bonito… plmdds, o Pacífico é MUITO lindo, quem foi que inventou os shoppings sem graça do resto do mundo?

E lá é que vamos assistir hoje ao tão aguardado TANGOOOOOOOO (parte 2 do post), que nem custou 150 dólares, que era valor dos tangos da página 1 de resultados do google.  Custou 150 PESOS (~5,5 vezes menos). Mas a gente não tinha 150 pesos trocados, e o câmbio maravilhoso de um quiosque do shopping era 1.91 (WHAT?), então tivemos que fazer um saque num caixa eletrônico. Vamos às contas: 1000 pesos saíram por 436,60, e até onde eu vi no meu extrato, a taxa de 20 reais do banco, o IOF e a taxa de 33 pesos do próprio caixa eletrônico (sim, tem isso também) estão todos incluídos aí. Conclusão: câmbio de 2,29. Quase tão ruim quanto o Banco de la Nación, mas era isso ou não ir no tango, então dane-se, vamos pro tango!

Ingressos comprados, saímos do Pacífico e seguimos pela Florida até o final, que é na Praça San Martin, que é bem bonitinha.

Praça San Martin

escaleras donadas por la fundación american express MUITO IMPORTANTE HEIN?

Na frente da praça fica o edifício Kavanagh.

Edifício Kavanagh

esse aí… super altão

Esse prédio rende uma ótima história, vamos lá: Nos idos de 1930, uma mulher chamada Corina Kavanagh amava um menine que era de uma família tradicionalíssima, e como ela era uma “new money“, a família DELE não aprovou o casamento. E pra se vingar, ela construiu o edifício com seu próprio nome, e abriu uma rua com o próprio nome também, com o objetivo de tampar a visão que o casarão da família dele tinha da Basílica del Santíssimo Sacramiento, que era o mausoléu da família. Pra eles poderem ver a frente da Basílica, só passando pela rua Corina Kavanagh. Fodona ela, né? Pois é, pontinhos pra ela pela audácia (mas os turistas também não conseguem ver direito a Basílica mimimi)

Basílica del Santíssimo Sacramiento

veja que a foto da fachada da basílica inclui um pedaço do Ed Kavanagh né

Anyway, seguimos à pé para a Torre dos Ingleses…

Torre dos Ingleses

Torre dos Ingleses

Linda também, e é de frente pra Estação Retiro, que é tipo uma estação central de ônibus e trens e afins, mas não chegamos a entrar.

Praticamente do lado dali está a Praça Canadá, que é bonitinha, mas não chega a empolgar, depois de ver tanta coisa bonita.

E até aí era pra ser o programa do dia, mas como era antes de 14h, resolvemos adiantar um pouco da Recoleta, que era o próximo passeio, então fomos à pé nas empanadas El Sanjuanino e almoçamos. Essa El Sanjuanino estava indicada por não sei quem num top 5 de empanadas, mas eu prefiro as da Genova ainda, e eu tô falando sério! Bem se vê que turista não vem pro centro por medinho, mas por enquanto nós sobrevivemos 7 dias sem problemas já 😀

O próximo e penúltimo passeio do dia SERIA tomar sorvete de creme no Hotel Alvear, indicação que eu recebi, porém chegamos lá e o sorvete era 75 pesos (ao menos era o que tava escrito no SOBREMESAS), então a gente saiu de fininho do hotel mais chique e lindo do mundo (meu alcance é só Brasil e Argentina, favor perdoar a generalização).

Pra voltar, foi mais uma pernadinha até a estação Callao do subte D, e pra nossa surpresa, as catracas estavam liberadas em plena segunda-feira às 16h (hein?) – again… não deu pra entender ainda os horários argentinos.

E aí só depooooooois de todos os passeios é que tivemos:

ALFAJOR!

O primeiro do dia foi o Cabsha

Alfajor Cabsha

Cabsha

O recheio e a massa são ótimos, quase no nível Jorgito, mas a cobertura me pareceu meio chocobanha, grudou um pouco no céu da boca hahaha

E foram esses os passeios turísticos do dia…

~~~

PARTE 2:

TANGOOOOOOOOOOOOOO!

Sinceramente, não tem o que dizer. Tem que vir pra ver ao vivo… o máximo que achei foi um “trailer” do próprio espetáculo:

Mas ao vivo é simplesmente LINDO DEMAIS. E ressaltando que pegamos um show “off-road” de tango, hein? O nome do espetáculo é Buenos Aires Pasión de Tango, quem vier pra cá já sabe…

Dica do dia:

PLEASE, turistas, não vão aos shows carérrimos de tango de 200 dólares, PLEASE vão ao Centro Cultural Borges e vejam o Buenos Aires Pasión de Tango, todas as segundas, 20h, terceiro andar da Galerías Pacífico.

Sem mais.

PS:

ALFAJOR!

O segundo do dia foi o Suchard.

Alfajor Suchard

Suchard

A @Lo_wski disse que é bolacha recheada com cobertura de chocolate, mas eu achei que é bonzinho… a massa é durinha, mas é gostosa. Pra mim não é bem um alfajor, mas tudo bem.

E depois desse, hora de dorm..OPAAAAA

ALFAJOR!

Terceiro alfajor do dia: Bon o Bon

Alfajor Bon o Bon

Bon o Bon

Meh, o recheio é de amendoim, me lembrou o bombom da marca “bon o bon”, parece um serenata de amor horizontal, não gostei.

Agora sim, depois desse hora de dormir 🙂

Amanhã tem mais!