primeira aventura culinária de 2014

OOOEE galere!

Antes da aventura culinária, eu gostaria de agradecer a todo mundo que passou por aqui nos últimos dias e comentou a história do Park Shopping Barigui, só pra vocês saberem, foi o post mais lido mais rapidamente da história do blogs:

Gráfico Blogs

🙂

Fiquei bem feliz, teve pedido de desculpas e merchandising da Prata Fina e tudo.

Anyway, seguindo em frente, ontem foi meu aniversário EEEEEEEEEEEE e eu farei um post sobre isso quinta-feira… aguardem! 🙂

Agora vamos ao que interessa: a aventura culinária: Pão de queijo na sanduicheira.

Esses dias surgiu no facebook um compartilhamento aleatório sobre como fazer… e pareceu interessante e bem simples, VEJÃO como deveria ser:

Pão de queijo de sanduicheira

no mundo ideal seria assim

Mas obviamente, qualquer comida/receita/etc que venha pro blog, tem algum PS imprevisto ou whatever. No post do facebook as instruções eram:

“Modo de Preparo: Bata no liquidificador 1 xícara de leite, 1 xícara de óleo de cozinha e 3 ovos, depois acrescente 2 xícaras de polvilho doce e a metade de um pacote de queijo ralado parmesão e sal a gosto. Bata até ficar homogêneo. Unte a sanduicheira com óleo com a ajuda de um papel toalha, depois despeje o conteúdo na sanduicheira, preenchendo o desenho do sanduíche. Coloque um pouco de queijo sobre a massa líquida e feche a sanduicheira. Deixe assando por aproximadamente 5 min. Quando corar está pronto! *A máquina de waffle também funciona para essa receita.”

Fizemos quase isso… só faltou o queijo sobre a massa líquida, por motivos de comemos metade do pacote de queijo antes, não sobrou pra essa parte RSRS

Mas o resultado não foi exatamente o esperado. VEJÃO como ficou:

Pão de queijo na sanduicheira revisited

o passo 4 foi de um batch diferente, ok? a foto do batch correto deu pau

Pois é, vamos analisar a receita agora…

Primeira parte suspeita: 1 xícara de leite, 1 xícara de óleo de soja e 3 ovos. Esses são os líquidos. Ou seja: quase metade dos líquidos é puro óleo. Piriri/azia/gastrite garantido(s).

Segunda parte suspeita: Unte a sanduicheira. PRA QUE minha gente, se já foi tanto óleo na receita, e a sanduicheira supostamente é anti-aderente?

Terceira parte suspeita: Despeje o conteúdo na sanduicheira, preenchendo o desenho do sanduíche. – Essa parte foi super dúbia. Tem que preencher apenas o triangulinho interno

Preenchimento dos triângulos na sanduicheira

assim

Porque se preencher o triangulo externo inteiro vai vazar pra fora, o troço incha, e vaza coisa pra fora:

A Coisa

é nojento

Bom, eu consertaria a receita colocando meia xícara de óleo a menos, mais queijo (um pacote de 50g inteiro por receita)

E tem outro detalhe que a receita não conta: essa receita dá tipo uns 20 triangulinhos de pão de queijo OU MAIS! Divida a receita em múltiplos de três (não dá pra usar um ovo e meio afinal) se não for comer muito.

E prepare seu troninho se for sensível, é uma overdose de gordura.

Veredicto: não farei novamente. Mas boa sorte, boa noite lua e boa noite stars pra quem fizer.

Anúncios

constrangimento no shopping barigui

O boy e eu decidimos que iríamos colocar alianças nos dedos, porque somos bem fofinhos e bregas, e não estamos nem aí pra fome no mundo, vamos gastar dinheiro com alianças sim, muito obrigado, etc.

E lá fomos nós no sábado pro Park Shopping Barigui dar uma olhada na Prata Fina, e, como sempre, quando chegamos no shopping, começamos a andar de mãos dadas, porque afinal, se ~as gueis~ podem casar, porque não poderiam andar de mãos dadas no shopping né?

E aí a gente deu as mãos e automaticamente o público do shopping começou a olhar.

A olhar feio.

A olhar torto.

Machado de Assis with lasers

a olhar with lasers

Olha, até onde eu tinha olhado estamos em 2013 2014, certo? Então pra que toda essa coisa de olhar pra gente como se fossemos dois abacaxis com pernas?

Foi muito constrangedor.

Mas como nós somos emocionalmente fortes, porque desde sempre tivemos que ser, seguimos até a Prata Fina, desviando dos lasers alheios, e chegamos lá meio incomodados, mas ainda assim felizes e serelepes, celebrando nosso momento feliz de alianças.

Prata Fina Park Shopping Barigui

eis-la

Tudo muito bom, tudo muito bem, entramos na loja, e a vendedora que talvez fosse nos atender, continuou mexendo no que estava fazendo, e sem nos olhar falou “já atendo vocês”. Ok, vamos aguardar.

Como ela demorou um pouco, veio outro vendedor, que nos cumprimentou, etc, e quando eu falei a palavra “aliança”, ele ~magicamente~ mudou de comportamento, olhou pra baixo e mostrou as alianças sem olhar pra nós. Só pra baixo. O vendedor estava visivelmente desconfortável em nos atender.

Obviamente o atendimento péssimo nos fez sair dali e ir em outra loja, já que a Prata Fina não gosta muito de vender alianças para gays. Próxima loja: Prata & Arte.

Prata e Arte Shopping Barigui

eis-la em baixa resolução

Lá a coisa funcionou beeeeeeeem diferente, a loja quis nos vender alianças, a vendedora que nos atendeu não só perguntou nossos nomes e conversou com a gente como gente de verdade, como até ajudou a gente a descobrir que estávamos provando os tamanhos errados nos dias/lojas anteriores. E foi ali que compramos.

Ficamos super felizes com a compra, but assim que saímos da loja, voltamos pro pessoal with lasers que estava zanzando pelo shopping, e acho que foi uma das minhas visitas mais rápidas ao Park Shopping Barigui, de tão horrível que foi o sentimento.

Alianças

aqui pra vcs então

Vejam: não estou dizendo que esse constrangimento foi “culpa” do shopping ou da loja que nos atendeu mal. A loja, obviamente, não preparou muito bem aquele vendedor pra lidar com a situação, mas o shopping em si eu não vejo como “culpado”. Mas sim os frequentadores, um monte de gente metida a rica, e metida a família-americana-suburbana, que quer esconder dos filhos que no mundo existem pessoas gays. Pois é, queridos, nós existimos sim, e nós pagamos impostos do mesmo jeito que vocês, então, o mínimo que a gente espera é respeito, sem se sentir mal porque o tempo todo tem alguém olhando feio e entortando o pescoço pra ver direito.

Porque sinceramente, eu não mereço esse tratamento, eu não fiz nada pra vocês me olharem feio, nem sequer eu escolhi ser gay. Então, pleeeeeeease, parem com isso. Parem com esse preconceito sem fundamento, parem de achar que seus conceitos de certo e errado são os melhores, e saiam de dentro da bolha de vocês. Porque não dá mais.

Detalhe: nós nunca passamos por esse constrangimento em nenhum outro lugar, e nós andamos de mãos dadas no Angeloni, no Shopping Curitiba, no Shopping Muller, e em mais um monte de lugares, inclusive, ontem estávamos no Carmel Bar, e ninguém sequer prestou atenção quando estávamos na mesa de mãos dadas.

Pois é.

Enfim, galere, boa sorte pros próximos ~gueis que forem comprar aliança no shopping barigui… se cuidem. Beijos, e boa noite lua boa noite stars