buenos aires! dia 9

BOM DIA Buenos Aires!

Começamos o dia acordando os dois às 6h da manhã devido ao calor que estava, ontem à noite choveu por causa do calor de ontem, então estamos esperando uma nova chuva pra muito breve, porque está tipo uns 20ºC… esquentou do nada, e mesmo assim, o pessoal estava andando de casaco na rua.

Curiosidade:

Argentino é friorento… sempre de cachecol, sempre de casaco. Ok, venta bastante em BsAs, mas não justifica…

E BOM DIA Buenos Aires! Re-começamos o dia lá por dez horas, e eu tive que começar a escrever o post já de manhã por causa de um episódio maravilhoso da limpeza do quarto: hoje acabou o papel higiênico do banheiro hahahaha e bem, eu estava precisando… essa acho que foi a única falha mais err… interessante (?) do serviço de limpeza, não ter trocado o papel quando vieram… mas tudo bem.

Depois de tudo resolvido, comemos o primeiro

ALFAJOR!

do dia, e provavelmente o último inédito que dá pra comprar em kioscos: Cofler.

Alfajor Cofler

Cofler

É bonzinho, me lembrou muito, mas MUITO o Tri Shot. Até a embalagem é parecida… então o veredicto final dos alfajores: Jorgito, como previsto (recebemos indicações)

Os passeios de hoje incluíam um piquenique, então antes de pegar o subte, passamos na Genova comprar empanadas, passamos no Martinez comprar medialunas e passamos no Carrefour comprar água gelada e suco de pacote (e compramos uma caixa de Jorgito aproveitando o ensejo). Meio pobrinho, mas é divertido, não dá pra negar 🙂

Descemos na Plaza Italia:

Plaza Italia

Plaza Italia

Ela é do lado do Jardim Botânico, então demos uma caminhada por ali.

Jardim Botânico

castelinho no Jd Botânico

No aspecto organização e disposição das plantas, muito bonito. Mas no aspecto limpeza geral, achei que ficou meio a desejar, aliás, as coisas aqui na Argentina não são 100% bem limpas. Não sei se eles não enxergam a sujeira ou o que, mas o Brasil (ao menos Joinville e Curitiba) é mais limpinho.

Dali seguimos pro Zoológico, MASS eram 75 pesos a entrada por pessoa, então a gente desviou pro Museu Evita, que eram só 20.

Museo Evita

entradinha do museu

Museo Evita

Evita sendo aclamada

E valeria até mais de 20, o museu além de lindo, é super tocante, dá pra acompanhar a trajetória política e social dela e entender porque os argentinos amam tanto essa mulher. E como ela morreu meio abruptamente, é triste também quando se chega no final do museu e se dá conta disso.

Dica do dia:

Obrigatório ir ao Museu Evita, mesmo, é um das coisas mais lindas e tocantes da cidade.

Dali caminhamos um pouco pelo Parque 3 de Febrebo e fizemos nosso almocinho sentadinhos na grama. Incluindo um

ALFAJOR!

que não estava nos planos: o da próprio Martinez.

Alfajor Martinez

Martinez (não tiramos fotos, vai do google)

É ótimo, mas como era o com cobertura de açúcar, não vale, acho que temos que provar ainda o de cobertura de chocolate (e falta o Havanna ainda!)

Seguimos pela Figueroa Alcorta pra tentar visitar o Malba e ver o Abapuru, já que ontem estava fechado, e chegando lá, eram mais 20 pesos. Resolvemos economizar esses porque era uma obra só que queríamos ver, e usamos o dinheiro pra pagar os 24 da entrada do Jardim Japonês. Que aliás, é LINDO demais, de novo valeu o dinheiro.

Jardim Japonês

“bandeirinha” simulando peixes ^^

Jardim Japonês

só podia pendurar um pedido se comprasse ele na lojinha 😦

Jardim Japonês

Cachoeirinha do Jardim Japonês

Jardim Japonês

a tal da Ponte

Jardim Japonês

mais do Jardim Japonês

Tem uma pontezinha linda que sempre tem alguém ocupando, ficamos uns bons dez minutos pra conseguir tirar uma foto da ponte sem ninguém 😛

Saindo dali, passamos na frente do Monumento dos Espanhóis e seguimos para o Rosedal.

Rosedal

chafarizes do Rosedal

Rosedal

Banquinho no Rosedal

Rosedal

rosinhas brotando

Woody

caiu o Woody 😦

Mil pontos pra quem criou esse último, os labirintinhos são lindos e NÃO PODE pisar na grama, tem gente cuidando. Um zé-banzé tentou e levou um xingo de uma guardinha que estava a tipo 400 metros de distância (ela enxergou a essa distância!). Único problema: nós viemos na época de poda das roseiras, então não tinha NENHUMA nem crescida, que dirá florida 😦

Próximo passeio: Planetário Galileo Galilei. Não chegamos a entrar porque não tinha nada em exposição no horário que chegamos, então esperamos o pôr-do-sol ali, porque o planetário é iluminado lindamente à noite.

Planetário à noite

Planetário à noite

Mas até o sol se por, os gansos (ou sei lá que bicho eram) dali vieram comer graminha perto do banco onde estávamos e alguns ficaram ameaçando a gente, gritando pra gente sair, mas nós ficamos ali, se borrando de medo, mas sem sair do banco.

Gansos

ATAQUE!

Mas foi legal também porque depois presenciamos o sexo mais rápido do mundo: um cachorro chegou, cheirou, subiu, e em menos de um minuto já tinha terminado. A coitadinha da cadela até gritou no meio do ato, então pensem na bitola do bichinho. E depois disso, eles ficaram grudados por um século, pensem só a depressão de ter que ficar grudado por sei lá, meia hora, após um quick sex de 1 minuto. Triste.

Sex dos cachorros

xxx rss

E pra fechar o dia, mais um passeio turístico básico: Tortoni!

P1010090

E ao contrário do que falam, NÃO era um absurdo de caro, um chocolate mais três churros foi por 40 pesos, e o chocolate era gostoso de verdade. Super valeu a pena.

Agora estamos aqui tomando vinho no hotel, agora é a vez do Alma Mora. É um Syrah. O Quara é melhor, na minha opinião, porque ele não é tão pesado, sei lá.

Vou encerrar o post por aqui enquanto estou sóbrio então 🙂

Amanhã, último dia de passeios 😦 mimimi (mas eu to cansando de postar tb, eita!)

Boa noite lua boa noite stars!

buenos aires! dia 8

subteHOLAA!

Hoje teoricamente teríamos um dia cheio, então era bom acordar cedo… béééé! Acordamos quase 10h, etc etc e comemos qualquer coisa no hotel mesmo, e logo depois:

ALFAJOR!

O Primeiro alfajor do dia: My Urban

Alfajor My Urban

My Urban

A embalagem parece de camisinha hahaha e o alfajor é bom, e o interessante é que ele não é caro, mas não lembro o preço também.

Anyway… subte linha D, estação Pueyrredon, que era a mais próxima da Recoleta (na teoria), e começamos os passeios marromeno às 11h pelo Cemitério da Recoleta. É um “show de arquitetura em miniatura”, os túmulos devem ter uns 2 metros de altura ou mais, e a maior parte deles é bonito mesmo, mas tem muuuuuuita coisa mal cuidada também.

O túmulo da Evita está lá, escondidinho no meio de um monte de outros, mas dá pra achar porque sempre tem alguém em volta.

Túmulo Evita

SEMPRE tem flores no túmulo dela

Dali seguimos por uma praça que tem na frente, mas que não sei o nome, tem diversas cabines telefônicas daquelas vermelhas de Londres ali (?), alguém sabe o nome? Tem umas árvores IMENSAS, uma árvore inteira dá mais que uma rotatória.

Árvore

imensa árvore na praça esqueci o nome

Nessa mesma praça tem uma entrada de um shopping chamado Buenos Aires Design, que é cheio de coisinhas fofas à la Imaginarium, e onde fica o Hard Rock Cafe também, que nós até chegamos a subir as escadas pra entrar, mas chegando na entrada interna desistimos e fomos embora… mas temos uma foto da fachada 😀

Hard Rock Cafe

pobres só tiram foto da fachada rsss

O passeio continuou no Museu de Belas Artes, que tem muuuuuita coisa conhecida, tipo Manet, Monet, Rodin, Candido López, Renoir, Degas, Cézanne, Charles Chaplin (siiim!) e até um Van Gogh! Mas Picasso não tinha (a @Lo_wski disse que tinha), cadê a graça se não tem um Picasso né? RSSS 😦

Renoir

Renoir

 

Cézanne

Cézanne

Do lado do museu fica a Facultad de Derecho: a fachada parece um templo romano, é maravilhoso.

Facultad de Derecho

pq Direito é algo Romando -AFFFF APAGAR

Logo do lado dela tem a famooosa Floralis Genérica:

Floralis Generica

Floralis Generica

Essa ~escultura~ (ou como se chamaria isso?) é uma flor (AH, É?) que abre abria com o nascer do sol e fecha fechava com o pôr-do-sol. Mas agora ela está velha e estragada, então não funciona mais 😦

“Almoçamos” às 15h no shopping Paseo Alcorta… esse sim não tem muita diferença em relação aos shoppings do resto do mundo… pra variar, comida argentina em grande quantidade e super quente 🙂
Dali fomos pro Malba, que é o museu onde está o Abapuru, da Anita Malfatti. A decoração de fora está cheia de bolinhas vermelhas fofas, porque sei lá quem está expondo algo nesse sentido e eles colocaram umas faixas nas árvores e pontos de ônibus pra combinar.

Bolinhas

árvores com bolinhas ^^

Mas adivinha? Tuesdays: closed.

Mimimi

Vamos tentar amanhã de novo.

O último ponto turístico foi a Biblioteca Nacional, um prédio muito divertido, que só vendo fotos mesmo pra explicar (é que estou exausto)

Floralis Generica

bizarro né?

Depois de tudo isso a gente se arrastou até a estação de subte e voltamos pro hotel

ALFAJOR!

O segundo do dia (e provavelmente o mais barato do mundo, pq tinha promos de 4 deles por 5 pesos): Guayamallen.

Alfajor Guayamallen

Guayamallen

Achei bizarro, o recheio é bom, mas a cobertura é chocobanha também, não gostei muito. Mas enfim… já comemos piores.

E pois é… a essa altura do turismo, alguém aí deve estar se perguntando: se estamos em buenos aires, ONDE RAIOS está o bife de chorizo? Estava no Don Julio, restaurante super turístico no Palermo Soho, que é conhecido por as pessoas assinarem seus vinhos, e eles guardam nas prateleiras, à vista de todos. E guess what? Pedi um vinho (claro que dos “mais baratos” pq eu não entendo muito e não sou tão ryca) e eu e a @Lo_wski assinamos e vimos ele colocar nossa garrafa à mostra ❤

Vinho Don Julio

pq somos Will & Grace

Claro que rolou um merchan, exatamente como no Burger Joint 🙂

E claro que por ser um lugar top top top, lá se foram 459 pesos e mais 60 de táxi pra carregar os estômagos cheios e as cabeças bêbadas pro hotel né hehehehe

Mas se até então não tínhamos feito nada de caro, ao menos agora podemos falar que o Don Julio VALE os 459 pesos. A comida é ótima, o atendimento é maravilhoso e por aí vai, a gente só não sabia que a conta seria tão alta porque nenhum outro blog se prestou a dizer que esse era o preço, então:

Dica do dia:

Don Julio é caro. Mas vale a pena 🙂

E ah, sim, depois de tanta comida boa aqui na Argentina, eu, sinceramente, do fundo do coração, sem ofensas, etc, etc, achei o bife de chorizo a comida mais sem graça daqui (notem que todas as comidas até agora foram maravilhosas). Por favor, não me julguem.

Passeios quase no fim, gentes, só mais um pouquinho 😛

Besitos e até amanhã!

AHH SIM!

Curiosidade:

Essa não é relacionada ao post, mas uma coisa que reparei aqui é que argentinos tem cara de argentinos, tipo japonês, que é tudo igual, sabe? Pois é… argentino também… e o pior… argentino é feio, credo! Acho que eu não pegaria, viu… eles em geral tem os dentes podres ou algo do gênero, e pra se diferenciar uns dos outros, eles fazem uns cabelos bizarros que vou te contar hein… Mas ao menos eles são magros (não sei como, pela quantidade que se come aqui, não dá pra entender), a maioria ao menos é…

Enfim, agora sim, besitos e até amanhã!