bye bye 2013

Heeelloooooo galere, bem-vindos a 2014 e ao primeiro post de segunda do ano 🙂

Demorou mas chegou, o fim de 2013. Que ano mais longo hein? Quando eu achava que finalmente já estava terminando e que nada mais de ruim (ou bom, ou marcante, ou whatever) iria acontecer, eis que alguém arrebentou o espelho retrovisor do Migo, como vcs já viram nesse post:

Migo com espelho quebrado

pobre migo 😦

Mas como eu não tinha explicado a história, vamos lá: estacionei o carro na rua, no lado direito, pra entrar numa loja e comprar o presente de aniversário do filho de um amigo meu. Achei o presente depois de ter procurado em outras lojas, e saí feliz e contente e serelepe da loja pra chegar no Migo e descobrir que o espelho estava assim. Pela listra emborrachada que ficou na lateral do carro e pelo naipe do quebrado, me parece que foi um motoca que passou manobrando muito bem, ou sei lá… faço votos de que tenha caído e se estrebuchado, porque o desgraçado não deixou nem um telefoninho ou contato ou whatever pra eu poder cobrar dele a conta depois… Porque sim, eu sou vingativo às vezes rssssss

No fim das contas, como colar com chiclete não daria certo e eu ia viajar já no dia seguinte pro natal, eu decidi resolver o assunto à distância e comprar um retrovisor novo durante a viagem. O destino inicial foi Cascavel, onde mora a madlinha, e onde estava o mamai. Cheguei lá domingo e segunda-feira de manhã, a viagem com o mamai seguiria pra Terra Roxa, onde sempre passamos o natal. Então ligeirinho nos despencamos pelos robautos de Cascavel pra achar o retrovisor e deu certo, no primeiro já achamos um novo original por 160 dilmas. Então beleza, retrovisor novo guardadinho no carro do babai, vamos seguir viagem.

Babai trocou de carro e comprou um…

Cobalt

Cobalt…

…só que o dele é azul escuro metálico (como se esse carro conseguisse ficar mais feio). Mas como o motorista está dentro e não vê o design externo enquanto dirige, a visão interna é bonitinha, painel e etc, praticamente tudo digital, e aí ele me deixou dirigir! Yaaaaaaaaaay! Detalhe é que o carro é tão leve e firme que quando você percebe, tá a 130Km/h.

Enfim… chegamos em Terra Roxa, terrinha onde mora a Nona. Sem noção do calor que estava lá, eu cheguei a tomar três banhos gelados num dia. Por ser natal, casa da Nona, nada pra fazer, etc, etc, adivinha o que a gente fez? Cozinhou e comeu. Um monte. Eu não vou contar quantos quilos engordei, shame on me. E o natal foi marromeno sem graça, presentes do mamai e babai foram legais, da chuck tb, mas uma prima minha embalou um rollon da avon e me deu.

WHAAAAAT?

WHAAAAAT?

Tosco né… saí de lá nem sei que dia, peguei um bus de volta pra Cascavel, que é onde tem aeroporto, e no caminho, mamai me liga dizendo “você esqueceu seu retrovisor aqui” – esse sou eu. Mamai teve que ir pra lá também no dia seguinte então, pra felicidade do resto da família que queria ver-la, e finally eu peguei o meu voo pra Curitiba, pra finalmente poder consertar o espelho.

(ah, sim, feliz natal atrasado pra vocês)

Diquete pros azarados que quebraram o espelho: não pague pra alguém trocar. É muito fácil, tem vídeos que ensinam a fazer isso no youtube e tudo, tipo esse:

Meio que todos os retrovisores se trocam desse mesmo jeito, então lá fui eu… desparafusa, blablabla, you know, stuff, whatever

Montando retrovisor

monta aqui, etc

Pronto, finished 🙂 ficou bom. Já pude ir de carro até o aeroporto, deixar no estacionamento VOE, que é o mais barato, 11 pilas a diária, e é super confiável, indicadíssimo 🙂

E voar pra Porto Alegre, e depois pegar um ônibus até Rio Grande, onde mora o love ❤

Nem vou falar de Porto Alegre que é pra não perder amizade, mas todo mundo sabe que eu detesto aquilo lá né… anyway, nessa viagem reparei como eles falam outro idioma… plataforma de ônibus na rodoviária se chama “box”, lanchonete se chama “lancheria”, sanduíche feito na sanduicheira se chama “torrada”, e a sanduicheira se chama “torradeira” (lógico), e as pessoas “olham” filmes, não assistem.

Depois de algumas horas de viagem de ônibus, cheguei em Rio Grande – RS, onde fica a Praia do Cassino (e onde fica o love também rsss), que by definition, é a maior praia do mundo (sabe que gaúcho gosta dessas coisas né)

Praia do Cassino

~ui

E lá nós passamos o Reveillon na praia, bem lindos e românticos, bebendo espumante meio quente direto da garrafa por falta de taças, e sem pular as ondinhas pq é muito brega.

E sem churros também 😦

Eu, que adoro churros, estava morrendo de dor na perna esquerda, e mesmo assim, nós caminhamos o equivalente a três postos de salva vidas, ida e volta, procurando churros no dia 31, e nada. Muita depressão.

E como eu não sabia se ia ou não trabalhar dia 2, minha volta pra Curitiba era dia dois de manhã no aeroporto, portanto tive que pegar bus em Rio Grande às 22h30 e descer antes das quatro da manhã no Salgado Filho. E aí se iniciaram as cinco loooooongas horas de espera no aeroporto, e blablabla. Mas no fim deu tudo certo, e FIIIIIIIIINAAAAAAAAAALLYYYYYYYYYYYYY 2013 acabou.

Porque vamos combinar, acho que 2013 foi o ano mais longo da vida de todo mundo.

Mesmo que eu tenha conseguido cumprir as duas resoluções de ano novo, de terminar de escrever meu livro, e ler um livro por mês no mínimo. E tenha também conseguido coisas ótimas como viajar pra Argentina, trocar de carro e arrumar um namorado, comprar o Hyrule Historia, comprar um 3DS, ver o Brasil permitir casamento gay, conseguir visto americano, ir no show do Aerosmith, ressucitar o Super Nes e o Nintendo 64, e tocar a música mais foda da minha vida. Tipo, MEEEEEEEEU quanta coisa.

Apesar de tudo isso, foi em 2013 também que eu fui assaltado, que fui agredido, que quebrei o braço, que tive diversas crises de labirintite, quebrei a tela do celular, raspei o carro no poste, e depois alguém arrancou meu retrovisor.

MEEEEEEEEEEU QUANTA COISA!

Pois é.

Por isso que eu desejo pra todo mundo um 2014 mais morno, com menos coisas boas e ruins acontecendo, e com mais calma num geral. Porque eu não vou aguentar um 2013 – o retorno, pufavô né Chessus.

Feliz 2014 pra todo mundo, espero que seja maravilhoso.

Beijos e boa noite lua boa noite stars!

PS: Resoluções para 2014 em breve, não parei pra pensar nisso ainda.

Anúncios

buenos aires! dia 9

BOM DIA Buenos Aires!

Começamos o dia acordando os dois às 6h da manhã devido ao calor que estava, ontem à noite choveu por causa do calor de ontem, então estamos esperando uma nova chuva pra muito breve, porque está tipo uns 20ºC… esquentou do nada, e mesmo assim, o pessoal estava andando de casaco na rua.

Curiosidade:

Argentino é friorento… sempre de cachecol, sempre de casaco. Ok, venta bastante em BsAs, mas não justifica…

E BOM DIA Buenos Aires! Re-começamos o dia lá por dez horas, e eu tive que começar a escrever o post já de manhã por causa de um episódio maravilhoso da limpeza do quarto: hoje acabou o papel higiênico do banheiro hahahaha e bem, eu estava precisando… essa acho que foi a única falha mais err… interessante (?) do serviço de limpeza, não ter trocado o papel quando vieram… mas tudo bem.

Depois de tudo resolvido, comemos o primeiro

ALFAJOR!

do dia, e provavelmente o último inédito que dá pra comprar em kioscos: Cofler.

Alfajor Cofler

Cofler

É bonzinho, me lembrou muito, mas MUITO o Tri Shot. Até a embalagem é parecida… então o veredicto final dos alfajores: Jorgito, como previsto (recebemos indicações)

Os passeios de hoje incluíam um piquenique, então antes de pegar o subte, passamos na Genova comprar empanadas, passamos no Martinez comprar medialunas e passamos no Carrefour comprar água gelada e suco de pacote (e compramos uma caixa de Jorgito aproveitando o ensejo). Meio pobrinho, mas é divertido, não dá pra negar 🙂

Descemos na Plaza Italia:

Plaza Italia

Plaza Italia

Ela é do lado do Jardim Botânico, então demos uma caminhada por ali.

Jardim Botânico

castelinho no Jd Botânico

No aspecto organização e disposição das plantas, muito bonito. Mas no aspecto limpeza geral, achei que ficou meio a desejar, aliás, as coisas aqui na Argentina não são 100% bem limpas. Não sei se eles não enxergam a sujeira ou o que, mas o Brasil (ao menos Joinville e Curitiba) é mais limpinho.

Dali seguimos pro Zoológico, MASS eram 75 pesos a entrada por pessoa, então a gente desviou pro Museu Evita, que eram só 20.

Museo Evita

entradinha do museu

Museo Evita

Evita sendo aclamada

E valeria até mais de 20, o museu além de lindo, é super tocante, dá pra acompanhar a trajetória política e social dela e entender porque os argentinos amam tanto essa mulher. E como ela morreu meio abruptamente, é triste também quando se chega no final do museu e se dá conta disso.

Dica do dia:

Obrigatório ir ao Museu Evita, mesmo, é um das coisas mais lindas e tocantes da cidade.

Dali caminhamos um pouco pelo Parque 3 de Febrebo e fizemos nosso almocinho sentadinhos na grama. Incluindo um

ALFAJOR!

que não estava nos planos: o da próprio Martinez.

Alfajor Martinez

Martinez (não tiramos fotos, vai do google)

É ótimo, mas como era o com cobertura de açúcar, não vale, acho que temos que provar ainda o de cobertura de chocolate (e falta o Havanna ainda!)

Seguimos pela Figueroa Alcorta pra tentar visitar o Malba e ver o Abapuru, já que ontem estava fechado, e chegando lá, eram mais 20 pesos. Resolvemos economizar esses porque era uma obra só que queríamos ver, e usamos o dinheiro pra pagar os 24 da entrada do Jardim Japonês. Que aliás, é LINDO demais, de novo valeu o dinheiro.

Jardim Japonês

“bandeirinha” simulando peixes ^^

Jardim Japonês

só podia pendurar um pedido se comprasse ele na lojinha 😦

Jardim Japonês

Cachoeirinha do Jardim Japonês

Jardim Japonês

a tal da Ponte

Jardim Japonês

mais do Jardim Japonês

Tem uma pontezinha linda que sempre tem alguém ocupando, ficamos uns bons dez minutos pra conseguir tirar uma foto da ponte sem ninguém 😛

Saindo dali, passamos na frente do Monumento dos Espanhóis e seguimos para o Rosedal.

Rosedal

chafarizes do Rosedal

Rosedal

Banquinho no Rosedal

Rosedal

rosinhas brotando

Woody

caiu o Woody 😦

Mil pontos pra quem criou esse último, os labirintinhos são lindos e NÃO PODE pisar na grama, tem gente cuidando. Um zé-banzé tentou e levou um xingo de uma guardinha que estava a tipo 400 metros de distância (ela enxergou a essa distância!). Único problema: nós viemos na época de poda das roseiras, então não tinha NENHUMA nem crescida, que dirá florida 😦

Próximo passeio: Planetário Galileo Galilei. Não chegamos a entrar porque não tinha nada em exposição no horário que chegamos, então esperamos o pôr-do-sol ali, porque o planetário é iluminado lindamente à noite.

Planetário à noite

Planetário à noite

Mas até o sol se por, os gansos (ou sei lá que bicho eram) dali vieram comer graminha perto do banco onde estávamos e alguns ficaram ameaçando a gente, gritando pra gente sair, mas nós ficamos ali, se borrando de medo, mas sem sair do banco.

Gansos

ATAQUE!

Mas foi legal também porque depois presenciamos o sexo mais rápido do mundo: um cachorro chegou, cheirou, subiu, e em menos de um minuto já tinha terminado. A coitadinha da cadela até gritou no meio do ato, então pensem na bitola do bichinho. E depois disso, eles ficaram grudados por um século, pensem só a depressão de ter que ficar grudado por sei lá, meia hora, após um quick sex de 1 minuto. Triste.

Sex dos cachorros

xxx rss

E pra fechar o dia, mais um passeio turístico básico: Tortoni!

P1010090

E ao contrário do que falam, NÃO era um absurdo de caro, um chocolate mais três churros foi por 40 pesos, e o chocolate era gostoso de verdade. Super valeu a pena.

Agora estamos aqui tomando vinho no hotel, agora é a vez do Alma Mora. É um Syrah. O Quara é melhor, na minha opinião, porque ele não é tão pesado, sei lá.

Vou encerrar o post por aqui enquanto estou sóbrio então 🙂

Amanhã, último dia de passeios 😦 mimimi (mas eu to cansando de postar tb, eita!)

Boa noite lua boa noite stars!