buenos aires! dia 7

ATENÇÃO! Esse post tem duas partes 😀 (só pq vcs adoram duas partes – ou não)

PARTE 1

Hoje foi um dos dias mais “turísticos” de todos: Calle Florida.

Calle Florida

a ruazinha de pedestres no canto direito da foto

Prédio lindo na Florida

como sempre, cheio de prédios lindos

Prédio HSBC

esse HSBC se fosse branco era o Gringotes hahaha

A Florida é tipo a XV de Curitiba, só que menos bonita (ou não), e menos lotada de gente (ou sim, porque hoje é segunda)

Curiosidade:

Na segunda-feira em BsAs as coisas não abrem normalmente… quase tudo está fechado ou abre só à tarde. Não deu pra entender ainda os horários argentinos.

Na Florida, a cada 15 metros tem alguém gritando CÂMBIO! CÂMBIO! DÓLARES E REALES! PAGO MÁS! mas nós não tivemos coragem nem de perguntar quanto era “pago más” pra eles, dado que ~conta-se~ que uma vez um zézão quis trocar 9 mil euros ali e foi literalmente roubado… então vamos salvar nossas notinhas de 50 reales.

A Florida fica a duas quadras do hotel, então fomos à pé até ela, descemos até o começo dela (que é na Diagonal Norte), depois voltamos tirando fotos de prédios bonitinhos até o shopping Galerias Pacífico:

Fachada Galerias Pacífico

a fachada já é linda…

Teto Galerías Pacífico

o teto, again, maravilhoso

Chafariz Galerias Pacífico

e ainda por cima tem um café em volta de um chafariz… é demais né…

E eu achava que o Abasto era bonito… plmdds, o Pacífico é MUITO lindo, quem foi que inventou os shoppings sem graça do resto do mundo?

E lá é que vamos assistir hoje ao tão aguardado TANGOOOOOOOO (parte 2 do post), que nem custou 150 dólares, que era valor dos tangos da página 1 de resultados do google.  Custou 150 PESOS (~5,5 vezes menos). Mas a gente não tinha 150 pesos trocados, e o câmbio maravilhoso de um quiosque do shopping era 1.91 (WHAT?), então tivemos que fazer um saque num caixa eletrônico. Vamos às contas: 1000 pesos saíram por 436,60, e até onde eu vi no meu extrato, a taxa de 20 reais do banco, o IOF e a taxa de 33 pesos do próprio caixa eletrônico (sim, tem isso também) estão todos incluídos aí. Conclusão: câmbio de 2,29. Quase tão ruim quanto o Banco de la Nación, mas era isso ou não ir no tango, então dane-se, vamos pro tango!

Ingressos comprados, saímos do Pacífico e seguimos pela Florida até o final, que é na Praça San Martin, que é bem bonitinha.

Praça San Martin

escaleras donadas por la fundación american express MUITO IMPORTANTE HEIN?

Na frente da praça fica o edifício Kavanagh.

Edifício Kavanagh

esse aí… super altão

Esse prédio rende uma ótima história, vamos lá: Nos idos de 1930, uma mulher chamada Corina Kavanagh amava um menine que era de uma família tradicionalíssima, e como ela era uma “new money“, a família DELE não aprovou o casamento. E pra se vingar, ela construiu o edifício com seu próprio nome, e abriu uma rua com o próprio nome também, com o objetivo de tampar a visão que o casarão da família dele tinha da Basílica del Santíssimo Sacramiento, que era o mausoléu da família. Pra eles poderem ver a frente da Basílica, só passando pela rua Corina Kavanagh. Fodona ela, né? Pois é, pontinhos pra ela pela audácia (mas os turistas também não conseguem ver direito a Basílica mimimi)

Basílica del Santíssimo Sacramiento

veja que a foto da fachada da basílica inclui um pedaço do Ed Kavanagh né

Anyway, seguimos à pé para a Torre dos Ingleses…

Torre dos Ingleses

Torre dos Ingleses

Linda também, e é de frente pra Estação Retiro, que é tipo uma estação central de ônibus e trens e afins, mas não chegamos a entrar.

Praticamente do lado dali está a Praça Canadá, que é bonitinha, mas não chega a empolgar, depois de ver tanta coisa bonita.

E até aí era pra ser o programa do dia, mas como era antes de 14h, resolvemos adiantar um pouco da Recoleta, que era o próximo passeio, então fomos à pé nas empanadas El Sanjuanino e almoçamos. Essa El Sanjuanino estava indicada por não sei quem num top 5 de empanadas, mas eu prefiro as da Genova ainda, e eu tô falando sério! Bem se vê que turista não vem pro centro por medinho, mas por enquanto nós sobrevivemos 7 dias sem problemas já 😀

O próximo e penúltimo passeio do dia SERIA tomar sorvete de creme no Hotel Alvear, indicação que eu recebi, porém chegamos lá e o sorvete era 75 pesos (ao menos era o que tava escrito no SOBREMESAS), então a gente saiu de fininho do hotel mais chique e lindo do mundo (meu alcance é só Brasil e Argentina, favor perdoar a generalização).

Pra voltar, foi mais uma pernadinha até a estação Callao do subte D, e pra nossa surpresa, as catracas estavam liberadas em plena segunda-feira às 16h (hein?) – again… não deu pra entender ainda os horários argentinos.

E aí só depooooooois de todos os passeios é que tivemos:

ALFAJOR!

O primeiro do dia foi o Cabsha

Alfajor Cabsha

Cabsha

O recheio e a massa são ótimos, quase no nível Jorgito, mas a cobertura me pareceu meio chocobanha, grudou um pouco no céu da boca hahaha

E foram esses os passeios turísticos do dia…

~~~

PARTE 2:

TANGOOOOOOOOOOOOOO!

Sinceramente, não tem o que dizer. Tem que vir pra ver ao vivo… o máximo que achei foi um “trailer” do próprio espetáculo:

Mas ao vivo é simplesmente LINDO DEMAIS. E ressaltando que pegamos um show “off-road” de tango, hein? O nome do espetáculo é Buenos Aires Pasión de Tango, quem vier pra cá já sabe…

Dica do dia:

PLEASE, turistas, não vão aos shows carérrimos de tango de 200 dólares, PLEASE vão ao Centro Cultural Borges e vejam o Buenos Aires Pasión de Tango, todas as segundas, 20h, terceiro andar da Galerías Pacífico.

Sem mais.

PS:

ALFAJOR!

O segundo do dia foi o Suchard.

Alfajor Suchard

Suchard

A @Lo_wski disse que é bolacha recheada com cobertura de chocolate, mas eu achei que é bonzinho… a massa é durinha, mas é gostosa. Pra mim não é bem um alfajor, mas tudo bem.

E depois desse, hora de dorm..OPAAAAA

ALFAJOR!

Terceiro alfajor do dia: Bon o Bon

Alfajor Bon o Bon

Bon o Bon

Meh, o recheio é de amendoim, me lembrou o bombom da marca “bon o bon”, parece um serenata de amor horizontal, não gostei.

Agora sim, depois desse hora de dormir 🙂

Amanhã tem mais!

buenos aires! dia 1

OEEEEEEEE

galere, como vcs sabem eu ia pra buenos aires, e na verdade já fui e já voltei 🙂

então começa aqui uma série de ONZE posts em homenagem aos onze dias em que meus pés estiveram por lá… mas claro que todos os posts foram escritos em real time todo dia lá, só que a internet do hotel era um cocozão então só posso postar agora… portanto, TODO DIA tem post ok? ^^

(inclusive os posts tem seções específicas! vcs vão ver)

bjs e o primeiro começa aqui:

HOLA CHICOS! BUEN DIA SOL BUEN DIA FLOWERS!

Entonces que estoy en buenos aires e mi español es mui fueda, entonces voltei pro português pq c’est la vie né

Vamos às aventuras então:

Tudo começa com eu e a @Lo_wski (revelada afinal a companhia misteriosa!) acordando às 4h30 da terça-feira dia 13… comemos qualquer coisa que tinha na casa dela, pegamos um táxi até a rua 24 horas em Curitiba e de lá o aeroporto executivo até o afonso pena…

Tomamos café da manhã lá na tal da lanchonete popular, e não é que era bom e barato mesmo? 😀

Tudo isso com esse nascer do sol aqui VEJÃO

Nascer do sol Curitiba

BOM DIA SOL!

Sete e quarenta decolamos para guarulhos e chegando lá, tomamos um chá de 3h30 de aeroporto, sendo obrigados a comer mcdonalds (pqp!)

Meio dia e vinte, decolamos para buenos aires YAAAAAAAAAAAAAY e descemos no aeroparque, que fica na cidade de buenos aires mesmo às 15h… fiiiiiiiiiiiiiiiila pra passar na polícia da argentina e CARIMBAR O PASSAPORTEEEEEE

Carimbo no passaporte

esse passaporte é meu mesmo, viu? nem pesquisei esse carimbo no google, juro!

Depois fiiiiiiiiiiiiiiiiiiiila pra trocar dinheiro no banco de la nación com um câmbio HORRÉÉÉÉÉVEL (o comercial estava 2.45, trocaram pra gente por 2.26)

E a primeira cagada turística vem logo em seguida… pegamos um táxi desgraçado cujo motora NÃO QUIS ligar o taxímetro, e nós também não sabemos falar “taxímetro” em espanhol, ou seja… ele cobrou o quanto quis. Detalhe é que ele era de radiotáxi, que teoricamente são os confiáveis que não te dão nota falsa nem passeiam com você por lugar nenhum pra ganhar mais dinheiro. No fim das contas o quanto ele quis foi 110 pesos (quase 50 reais), quando o normal seria menos de 50 pesos. Então vamos à…

Dica do dia!

foda-se o táxi que você pegar no aeroparque – é furada sempre hahahaha

Anyway, chegamos no hotel que eu contratei via airbnb (ótima pedida, quem quiser mais detalhes me peça outra hora) e eu já estava triste e desolado pq mal tínhamos chegado e a cidade já estava passando a gente pra trás… com fome e cansados a gente resolveu ir no carrefour pra comprar qualquer coisa e ao menos uma coisa deu certo, meu cartão passou direitinho (mas as sacolas plásticas são pagas – o que por outro lado é bom também)

Voltando pro hotel, resolvemos comprar umas empanadas numa pizzaria genericazinha, chamada Genova, na av Corrientes, e aí a sorte mudou, descobrimos que aceitam real, e fizeram a 4.00 pesos pra gente!!!! UHUUUUUL (essa vai ser a dica do dia amanhã – SPOILERS!)

Jantamos lá, deu quinze reais pros dois juntos, cada um comeu duas empanadas e tomamos uma garrafinha de algo parecido com H20, era sabor pomelo (grapefruit), tudo lá é de pomelo, credo! Mas as empanadas da Genova estão recomendadíssimas, são gostosas, apesar do lugar parecer meio pé-sujo (ops!)

E lógico: Buenos Aires = alfajor… próxima seção:

ALFAJOR!

Comemos só um:

Alfajor OREO

OREO

Eu não achei o OREO grandes coisas, tem aquele recheio do próprio biscoito, e eu não sou muito fã… mas a @Lo_wski gostou 😛

E pra fechar o post…

Curiosidade:

Atravessar a rua em Buenos Aires é engraçado… o sinal de pedestres abre mesmo que os carros da rua que cruza a que você está atravessando possam entrar nela… ou seja… prioridade para o pedestre atravessar, então os carros que estão virando a esquina são obrigados a parar e ficam andando a 2Km/h pra conseguir desviar dos pedestres. A lógica é ótima, no começo você fica com medo de ser atropelado, mas depois que se acostuma, a ideia até parece melhor que aqui no Brasil.

Lindos, amanhã teremos mais alfajor e mais aventuras 😀

Buena noche luna, buena noche stars