microturismo

Acabei de inventar a palavra “Microturismo”: significa fazer turismo em um único ponto numa cidade e ficar o menos tempo possível no local. Meio que “pra constar”.

Dado que a Chuck veio me visitar, e nem ela nem eu (ao menos desde que me mudei pra Curitiba) tínhamos ido ao Parque Tingui ainda… Então, bem, vamos lá, nem é longe de casa…

Lá fica o Memorial Ucraniano, onde vendem uns ovos pintados que nem são de Páscoa, são de boa sorte, e etc, eu ganhei um há uns seis anos da Ana, quando eu fui lá e nem morava aqui ainda… enfim, a gente resolveu fazer microturismo lá, e o plano era o seguinte: chegar lá, ir no memorial, tirar umas fots, e voltar pra casa.

Passeio Tingui planejado

como era pra ser

O ponto 1 foi onde conseguimos parar o carro, e o ponto 2 é onde fica o Memorial Ucraniano.

Claro que nosso passeio foi um pouquinho diferente.

Passeio Tingui realizado

como foi

O ponto 3 foi onde a gente parou pra descansar, visto que né, que burrice.

Sim, eu assumo que a culpa foi minha, eu achei que havia um caminhozinho que ligasse o Memorial à trilha que seguimos. Mas não tinha, como pudemos descobrir na prática. E isso que a gente cortou caminho saindo da trilha e passando na beiradinha de um laguinho, que era quase um mato, tinha buracos na grama e tudo… #aventura #radical

Tudo isso pra ver o tal do memorial…

Memorial Ucraniano

É um igreja e acabou

Pois é. Falhou o microturismo.

Então tá, na próxima torçam pra gente fazer microturismo de verdade.

E foi só isso que teve de interessante nos últimos dias, 2014 está sendo ótimo pra dormir 🙂

Não, eu não estou reclamando, eu estou é gostando ❤

Boa noite lua boa noite stars!

Anúncios

o peso da idade

Viva eu que fiz aniversário dia 12 agora!

Michelle Obama

Weeeeeee!

Jesus abeçõe

chessus abençÕe muito

Sempre gostei de fazer aniversário bem próximo ao reveillon. Acho matematicamente mais fácil gerenciar um ano sabendo que, no meu caso, um ano = uma idade. Eu sou daqueles que faz restarts emocionais a cada reveillon, com balanços e promessas, então ter o aniversário perto do reveillon faz eu prometer coisas uma vez só por ano – mais fácil do que se fossem duas vezes.

Anyway, são 26 ~primaveras~ cheias de flowers…

Não sei porque comemorar, diz-se por aí que nos 26 começa o downhill, e a pessoa esquece a idade que tem, que começa a aparecer doença, que não emagrece nunca mais, que bibibi bóbóbó etc.

Doença e problema eu já tive/tenho, e inclusive a última vez que saí de um consultório, foi da médica fono (a Sra. Dinheiro) que me enfiou uma dieta chatérrima, que aliás, eu nem segui.

E o peso… hmmmm

Boneco Michelin

pneus da depressão

Me pesei esses dias. Não devia ter feito isso. Todos aqueles quase 6Kg que eu tinha perdido na época da bicicleta ergométrica e blablabla, tudo já voltou, e trouxe junto tipo mais uns 3Kg. Bati meu récorde da vida inteira. Ok, eu sei que quando o curitia perde a culpa é minha, comi demaaaaaaaaaaaaaais, praticamente só besteira, e bike (ou Just Dance também rssss) só pegou pó. Ou seja, quilos, quilos, quilos.

Mas a grande questão se resume a: POR QUÊ? Por que cuidar tanto da alimentação? Por que fazer exercício pra emagrecer? Que merda, né… Pra que emagrecer, se vamos morrer? Como dizia Tia Penha… um dia todo mundo vai morrer.

Entendo que tem a ver com saúde e blablabla, mas um belo dia a pessoa se olha no espelho e pensa “que saco, eu estou com vontade de comer feito gente de novo”. E aí toda a reeducação alimentar vai pro saco, tudo aquilo que foi cortado do cardápio reaparece, e o sentimento de estou gordo e as recomendações médicas todas passam para o segundo plano, e a pessoa se entope de comida. E aí… quilos, quilos, quilos.

Eu estava refletindo sobre isso da saúde esses dias… todo médico em que a gente vai, sai de lá com uma dieta. E aí não pode comer mais doce, nem gordura, nem carne vermelha, nem leite, nem glúten, nem álcool, nem nada. E aí a pessoa é obrigada a viver uma vida de merda, comendo só salada e frango (aliás, frango também não devia poder comer, porque é puro hormônio de crescimento), vive com fome, e não aproveita um dos maiores prazeres da vida, que é comer. E vive até os 120 anos, mas feliz que é bom… necas.

E aí é que começa o parafuso na cabeça da pessoa. Eu não quero ser uma pessoa infeliz por não ter comido bem. Mas não quero ser uma pessoa infeliz por me sentir gordo. E aí, comofas?

Bem-vindos ao paradoxo atual da minha vida… tenho duas vontades enormes na vida:

A primeira é simplesmente ligar o “foda-se” – comer um pacote de 200g de doritos vendo seriado sentado na frente da TV. Não quero uma vida de merda de frango e salada, eu quero comer, e viver só o suficiente pra ver meus netos um dia e dar chocolate pra eles antes do almoço, como minha mãe prometeu que vai fazer com os netos dela. E quero morrer de overdose lá pelos 60~70 anos, quando já não fizer muita diferença ser drogado, só pra minha família ter que roubar meu corpo no hospital e atravessar o país comigo morto no porta malas.

Little Miss Sunshine

como no filme

Afinal, né, vale mesmo a pena a gente viver se restringindo de tudo? Eu quero comer tudo que eu quiser (ui!) e quando estiver velho, quero fumar e cheirar tudo que quiser também. Pra viver menos, mas viver feliz.

Mas lógico – não quero virar um baleio também… a segunda vontade enorme é de perder essa borda de catupiry que since ever me acompanha nessa vida, e me sentir um delício, que alguém pegue no meu tanquinho (opaaaaaa pensaram outra coisa) e diga UAAAAAAAU COMO VOCÊ É GOSTOSO! Ok, ser gostoso não é ter tanquinho, mas eu queria UMA VEZ NA VIDA me sentir magro de verdade, em forma, etc. Never gonna happen.

E agora? Comofas?

Enquanto não estou nos 60~70 anos pra virar drogado e comer tudo, acho melhor voltar ao empenho do começo de 2013, tirar o pó da bicicleta ergométrica e perder os quilos que eu nem vou dizer quantos são.

Feliz aniversário pra mim, que estou em parafuso. Wee 😦

Boa noite lua, boa noite stars

primeira aventura culinária de 2014

OOOEE galere!

Antes da aventura culinária, eu gostaria de agradecer a todo mundo que passou por aqui nos últimos dias e comentou a história do Park Shopping Barigui, só pra vocês saberem, foi o post mais lido mais rapidamente da história do blogs:

Gráfico Blogs

🙂

Fiquei bem feliz, teve pedido de desculpas e merchandising da Prata Fina e tudo.

Anyway, seguindo em frente, ontem foi meu aniversário EEEEEEEEEEEE e eu farei um post sobre isso quinta-feira… aguardem! 🙂

Agora vamos ao que interessa: a aventura culinária: Pão de queijo na sanduicheira.

Esses dias surgiu no facebook um compartilhamento aleatório sobre como fazer… e pareceu interessante e bem simples, VEJÃO como deveria ser:

Pão de queijo de sanduicheira

no mundo ideal seria assim

Mas obviamente, qualquer comida/receita/etc que venha pro blog, tem algum PS imprevisto ou whatever. No post do facebook as instruções eram:

“Modo de Preparo: Bata no liquidificador 1 xícara de leite, 1 xícara de óleo de cozinha e 3 ovos, depois acrescente 2 xícaras de polvilho doce e a metade de um pacote de queijo ralado parmesão e sal a gosto. Bata até ficar homogêneo. Unte a sanduicheira com óleo com a ajuda de um papel toalha, depois despeje o conteúdo na sanduicheira, preenchendo o desenho do sanduíche. Coloque um pouco de queijo sobre a massa líquida e feche a sanduicheira. Deixe assando por aproximadamente 5 min. Quando corar está pronto! *A máquina de waffle também funciona para essa receita.”

Fizemos quase isso… só faltou o queijo sobre a massa líquida, por motivos de comemos metade do pacote de queijo antes, não sobrou pra essa parte RSRS

Mas o resultado não foi exatamente o esperado. VEJÃO como ficou:

Pão de queijo na sanduicheira revisited

o passo 4 foi de um batch diferente, ok? a foto do batch correto deu pau

Pois é, vamos analisar a receita agora…

Primeira parte suspeita: 1 xícara de leite, 1 xícara de óleo de soja e 3 ovos. Esses são os líquidos. Ou seja: quase metade dos líquidos é puro óleo. Piriri/azia/gastrite garantido(s).

Segunda parte suspeita: Unte a sanduicheira. PRA QUE minha gente, se já foi tanto óleo na receita, e a sanduicheira supostamente é anti-aderente?

Terceira parte suspeita: Despeje o conteúdo na sanduicheira, preenchendo o desenho do sanduíche. – Essa parte foi super dúbia. Tem que preencher apenas o triangulinho interno

Preenchimento dos triângulos na sanduicheira

assim

Porque se preencher o triangulo externo inteiro vai vazar pra fora, o troço incha, e vaza coisa pra fora:

A Coisa

é nojento

Bom, eu consertaria a receita colocando meia xícara de óleo a menos, mais queijo (um pacote de 50g inteiro por receita)

E tem outro detalhe que a receita não conta: essa receita dá tipo uns 20 triangulinhos de pão de queijo OU MAIS! Divida a receita em múltiplos de três (não dá pra usar um ovo e meio afinal) se não for comer muito.

E prepare seu troninho se for sensível, é uma overdose de gordura.

Veredicto: não farei novamente. Mas boa sorte, boa noite lua e boa noite stars pra quem fizer.

constrangimento no shopping barigui

O boy e eu decidimos que iríamos colocar alianças nos dedos, porque somos bem fofinhos e bregas, e não estamos nem aí pra fome no mundo, vamos gastar dinheiro com alianças sim, muito obrigado, etc.

E lá fomos nós no sábado pro Park Shopping Barigui dar uma olhada na Prata Fina, e, como sempre, quando chegamos no shopping, começamos a andar de mãos dadas, porque afinal, se ~as gueis~ podem casar, porque não poderiam andar de mãos dadas no shopping né?

E aí a gente deu as mãos e automaticamente o público do shopping começou a olhar.

A olhar feio.

A olhar torto.

Machado de Assis with lasers

a olhar with lasers

Olha, até onde eu tinha olhado estamos em 2013 2014, certo? Então pra que toda essa coisa de olhar pra gente como se fossemos dois abacaxis com pernas?

Foi muito constrangedor.

Mas como nós somos emocionalmente fortes, porque desde sempre tivemos que ser, seguimos até a Prata Fina, desviando dos lasers alheios, e chegamos lá meio incomodados, mas ainda assim felizes e serelepes, celebrando nosso momento feliz de alianças.

Prata Fina Park Shopping Barigui

eis-la

Tudo muito bom, tudo muito bem, entramos na loja, e a vendedora que talvez fosse nos atender, continuou mexendo no que estava fazendo, e sem nos olhar falou “já atendo vocês”. Ok, vamos aguardar.

Como ela demorou um pouco, veio outro vendedor, que nos cumprimentou, etc, e quando eu falei a palavra “aliança”, ele ~magicamente~ mudou de comportamento, olhou pra baixo e mostrou as alianças sem olhar pra nós. Só pra baixo. O vendedor estava visivelmente desconfortável em nos atender.

Obviamente o atendimento péssimo nos fez sair dali e ir em outra loja, já que a Prata Fina não gosta muito de vender alianças para gays. Próxima loja: Prata & Arte.

Prata e Arte Shopping Barigui

eis-la em baixa resolução

Lá a coisa funcionou beeeeeeeem diferente, a loja quis nos vender alianças, a vendedora que nos atendeu não só perguntou nossos nomes e conversou com a gente como gente de verdade, como até ajudou a gente a descobrir que estávamos provando os tamanhos errados nos dias/lojas anteriores. E foi ali que compramos.

Ficamos super felizes com a compra, but assim que saímos da loja, voltamos pro pessoal with lasers que estava zanzando pelo shopping, e acho que foi uma das minhas visitas mais rápidas ao Park Shopping Barigui, de tão horrível que foi o sentimento.

Alianças

aqui pra vcs então

Vejam: não estou dizendo que esse constrangimento foi “culpa” do shopping ou da loja que nos atendeu mal. A loja, obviamente, não preparou muito bem aquele vendedor pra lidar com a situação, mas o shopping em si eu não vejo como “culpado”. Mas sim os frequentadores, um monte de gente metida a rica, e metida a família-americana-suburbana, que quer esconder dos filhos que no mundo existem pessoas gays. Pois é, queridos, nós existimos sim, e nós pagamos impostos do mesmo jeito que vocês, então, o mínimo que a gente espera é respeito, sem se sentir mal porque o tempo todo tem alguém olhando feio e entortando o pescoço pra ver direito.

Porque sinceramente, eu não mereço esse tratamento, eu não fiz nada pra vocês me olharem feio, nem sequer eu escolhi ser gay. Então, pleeeeeeease, parem com isso. Parem com esse preconceito sem fundamento, parem de achar que seus conceitos de certo e errado são os melhores, e saiam de dentro da bolha de vocês. Porque não dá mais.

Detalhe: nós nunca passamos por esse constrangimento em nenhum outro lugar, e nós andamos de mãos dadas no Angeloni, no Shopping Curitiba, no Shopping Muller, e em mais um monte de lugares, inclusive, ontem estávamos no Carmel Bar, e ninguém sequer prestou atenção quando estávamos na mesa de mãos dadas.

Pois é.

Enfim, galere, boa sorte pros próximos ~gueis que forem comprar aliança no shopping barigui… se cuidem. Beijos, e boa noite lua boa noite stars

bye bye 2013

Heeelloooooo galere, bem-vindos a 2014 e ao primeiro post de segunda do ano 🙂

Demorou mas chegou, o fim de 2013. Que ano mais longo hein? Quando eu achava que finalmente já estava terminando e que nada mais de ruim (ou bom, ou marcante, ou whatever) iria acontecer, eis que alguém arrebentou o espelho retrovisor do Migo, como vcs já viram nesse post:

Migo com espelho quebrado

pobre migo 😦

Mas como eu não tinha explicado a história, vamos lá: estacionei o carro na rua, no lado direito, pra entrar numa loja e comprar o presente de aniversário do filho de um amigo meu. Achei o presente depois de ter procurado em outras lojas, e saí feliz e contente e serelepe da loja pra chegar no Migo e descobrir que o espelho estava assim. Pela listra emborrachada que ficou na lateral do carro e pelo naipe do quebrado, me parece que foi um motoca que passou manobrando muito bem, ou sei lá… faço votos de que tenha caído e se estrebuchado, porque o desgraçado não deixou nem um telefoninho ou contato ou whatever pra eu poder cobrar dele a conta depois… Porque sim, eu sou vingativo às vezes rssssss

No fim das contas, como colar com chiclete não daria certo e eu ia viajar já no dia seguinte pro natal, eu decidi resolver o assunto à distância e comprar um retrovisor novo durante a viagem. O destino inicial foi Cascavel, onde mora a madlinha, e onde estava o mamai. Cheguei lá domingo e segunda-feira de manhã, a viagem com o mamai seguiria pra Terra Roxa, onde sempre passamos o natal. Então ligeirinho nos despencamos pelos robautos de Cascavel pra achar o retrovisor e deu certo, no primeiro já achamos um novo original por 160 dilmas. Então beleza, retrovisor novo guardadinho no carro do babai, vamos seguir viagem.

Babai trocou de carro e comprou um…

Cobalt

Cobalt…

…só que o dele é azul escuro metálico (como se esse carro conseguisse ficar mais feio). Mas como o motorista está dentro e não vê o design externo enquanto dirige, a visão interna é bonitinha, painel e etc, praticamente tudo digital, e aí ele me deixou dirigir! Yaaaaaaaaaay! Detalhe é que o carro é tão leve e firme que quando você percebe, tá a 130Km/h.

Enfim… chegamos em Terra Roxa, terrinha onde mora a Nona. Sem noção do calor que estava lá, eu cheguei a tomar três banhos gelados num dia. Por ser natal, casa da Nona, nada pra fazer, etc, etc, adivinha o que a gente fez? Cozinhou e comeu. Um monte. Eu não vou contar quantos quilos engordei, shame on me. E o natal foi marromeno sem graça, presentes do mamai e babai foram legais, da chuck tb, mas uma prima minha embalou um rollon da avon e me deu.

WHAAAAAT?

WHAAAAAT?

Tosco né… saí de lá nem sei que dia, peguei um bus de volta pra Cascavel, que é onde tem aeroporto, e no caminho, mamai me liga dizendo “você esqueceu seu retrovisor aqui” – esse sou eu. Mamai teve que ir pra lá também no dia seguinte então, pra felicidade do resto da família que queria ver-la, e finally eu peguei o meu voo pra Curitiba, pra finalmente poder consertar o espelho.

(ah, sim, feliz natal atrasado pra vocês)

Diquete pros azarados que quebraram o espelho: não pague pra alguém trocar. É muito fácil, tem vídeos que ensinam a fazer isso no youtube e tudo, tipo esse:

Meio que todos os retrovisores se trocam desse mesmo jeito, então lá fui eu… desparafusa, blablabla, you know, stuff, whatever

Montando retrovisor

monta aqui, etc

Pronto, finished 🙂 ficou bom. Já pude ir de carro até o aeroporto, deixar no estacionamento VOE, que é o mais barato, 11 pilas a diária, e é super confiável, indicadíssimo 🙂

E voar pra Porto Alegre, e depois pegar um ônibus até Rio Grande, onde mora o love ❤

Nem vou falar de Porto Alegre que é pra não perder amizade, mas todo mundo sabe que eu detesto aquilo lá né… anyway, nessa viagem reparei como eles falam outro idioma… plataforma de ônibus na rodoviária se chama “box”, lanchonete se chama “lancheria”, sanduíche feito na sanduicheira se chama “torrada”, e a sanduicheira se chama “torradeira” (lógico), e as pessoas “olham” filmes, não assistem.

Depois de algumas horas de viagem de ônibus, cheguei em Rio Grande – RS, onde fica a Praia do Cassino (e onde fica o love também rsss), que by definition, é a maior praia do mundo (sabe que gaúcho gosta dessas coisas né)

Praia do Cassino

~ui

E lá nós passamos o Reveillon na praia, bem lindos e românticos, bebendo espumante meio quente direto da garrafa por falta de taças, e sem pular as ondinhas pq é muito brega.

E sem churros também 😦

Eu, que adoro churros, estava morrendo de dor na perna esquerda, e mesmo assim, nós caminhamos o equivalente a três postos de salva vidas, ida e volta, procurando churros no dia 31, e nada. Muita depressão.

E como eu não sabia se ia ou não trabalhar dia 2, minha volta pra Curitiba era dia dois de manhã no aeroporto, portanto tive que pegar bus em Rio Grande às 22h30 e descer antes das quatro da manhã no Salgado Filho. E aí se iniciaram as cinco loooooongas horas de espera no aeroporto, e blablabla. Mas no fim deu tudo certo, e FIIIIIIIIINAAAAAAAAAALLYYYYYYYYYYYYY 2013 acabou.

Porque vamos combinar, acho que 2013 foi o ano mais longo da vida de todo mundo.

Mesmo que eu tenha conseguido cumprir as duas resoluções de ano novo, de terminar de escrever meu livro, e ler um livro por mês no mínimo. E tenha também conseguido coisas ótimas como viajar pra Argentina, trocar de carro e arrumar um namorado, comprar o Hyrule Historia, comprar um 3DS, ver o Brasil permitir casamento gay, conseguir visto americano, ir no show do Aerosmith, ressucitar o Super Nes e o Nintendo 64, e tocar a música mais foda da minha vida. Tipo, MEEEEEEEEU quanta coisa.

Apesar de tudo isso, foi em 2013 também que eu fui assaltado, que fui agredido, que quebrei o braço, que tive diversas crises de labirintite, quebrei a tela do celular, raspei o carro no poste, e depois alguém arrancou meu retrovisor.

MEEEEEEEEEEU QUANTA COISA!

Pois é.

Por isso que eu desejo pra todo mundo um 2014 mais morno, com menos coisas boas e ruins acontecendo, e com mais calma num geral. Porque eu não vou aguentar um 2013 – o retorno, pufavô né Chessus.

Feliz 2014 pra todo mundo, espero que seja maravilhoso.

Beijos e boa noite lua boa noite stars!

PS: Resoluções para 2014 em breve, não parei pra pensar nisso ainda.

morretes e antonina

Como esse post é special de viagens, não vou dar feliz ano novo pra vcs, ok? Aguardem o próximo post de segunda, que é amanhã, em que eu faço a redação das minhas férias.

Férias rssss brinks

Enfim, liguei pro mamai e disse:

– Mamai, vamos pra Morretes amanhã?

– Mas vão fazer O QUÊ lá?

Pois é, não tem nada pra fazer lá, mas o @_Leander, a @Lo_wski e eu resolvemos aproveitar que estamos todos de férias rsssss e pegamos o carro e fomos pra Morretes e Antonina 🙂

Placa da Estrada da Graciosa

pracas do brasiu

Mas vamos começar do começo.

A viagem começou de manhã “cedo” pela Estrada da Graciosa, que é tipo yellow brick road, sabem? Estreitinha etc, mas infelizmente não leva à cidade das Esmeraldas.

Pórtico da Graciosa

esse é o pórtico, onde começa a estrada

Ela não é toda de paralelepípedos, mas enfim… é uma estrada bem fófis, com vários pontos de parada de observação, já que é uma descida de serra.

Parque Mãe Catira

tipo esse, com este nome maravilhoso RSS

Aliás, dica aos viajantes, desçam a serra em segunda marcha pra não queimar os freios, ok?

Graciosa no Google Maps

sintam o naipe da descida

Dizem que Morretes é famosa pelos restaurantes que servem barreado e por… hmmm… bem… só isso. Então mamai tinha razão, o que fomos fazer lá?

Nada.

Tirar fotos pra incluir no próprio mapa do perfil do Facebook, porque nós não temos nada melhor pra fazer na vida além de sexo. Já que nós não queríamos barreado, nós levamos nosso próprio lanchinho, bem farofeiros, e fizemos piquenique dentro do carro, porque estava tipo uns 300 graus de sensação térmica, e felizmente, tem ar condicionado no carro.

Mas quem quiser almoçar lá, fikdik:

Restaurante Siri Cascudo

o Siri Cascudo rssssss

Ok, pra não dizer que não tem mais nada em Morretes, tem outra coisa também:

Rua em Morretes

tem uma rua também

Acho que Piratuba chega a ser maior, viu. Hahahahaha

Anyway, em uns 20 minutos já tinhamos visto ~tudo que havia pra ver~ em Morretes, voltamos pro carro, farofamos um pouquinho e fomos pra Antonina (e erramos o caminho também, não sei como, porque meio que só tem duas opções).

O mamai se chama Antonina ❤

Bom, não vão pensar que Antonina tem muito mais pra fazer ou que é muito maior do que Morretes, ok? Só que parece ser mais interessante… Inclusive A Banda Mais Bonita da Cidade gravou um clipe lá:

Tem também uma igreja onde sempre são 4h

Igreja das 4h em Antonina

forever young

Tem esse pier:

Trapiche

esse

Tem uma mini praiazinha, a Ponta da Pita, onde a temperatura estava uns 800 graus:

Ponta da Pita

esse buraco aí

E tem um velhinho com mullets imperdíveis rssssss

Velho do mullets

não consegui tirar foto melhor mimimi

E depois de tooooooooodo esse imeeeeenso passeio, não era nem três da tarde ainda, pra vocês terem ideia do tamaaaaanho das duas cidades.

Como choveu, não era uma boa ideia voltar pela Graciosa, então acabamos voltando pela BR 277, que é onde fica o pedágio mais caro do universo, R$15,40. Precisa disso? Não né… mas era isso ou se matar na Graciosa, portanto…

(um dia faço um opinião sobre os pedágios)

E foi isso, rodamos 198Km, gastamos tipo 10 reais cada um pro piquenique, sobraram quilos de comida, e deu mais tipo 13 reais de combustível… como a gente é pobrinho né rssssss

Enfim…

Vejo vocês amanhã então, lindjos, boa noite lua boa noite stars